Buscar

Já pensou em comer uma carne feita em impressora 3D?


Revista Exame :

Cientistas japoneses começaram esse teste. Eles criaram um bife artificial de Wagyu, o corte mais caro do mundo -- cujo quilo chega a custar 700 reais. Os resultados foram publicados no jornal Nature Communications.




Para conseguir chegar a uma versão parecida com a real, os cientistas tiraram de vacas wagyu dois tipos de células-tronco, que foram modificadas em laboratório até se transformarem na carne que eles queriam criar.

Como resultado, eles criaram estruturas como músculos e gordura, a fim de trazer uma peça que realmente se aproximasse da versão original. Depois de organizar cada pedacinho da carne de laboratório, eles ainda resfriaram o bife a uma temperatura de 4°C, até chegar na versão final.


Mesmo assim, os cientistas seguem confiantes no futuro das pesquisas e acreditam que será possível, eventualmente, chegar a um modelo que seja totalmente produzido em laboratório e comestível.

Fato é que eles não estão sozinhos nessa busca. De acordo com estimativas recentes, o mercado de carne à base de células deve movimentar 140 bilhões de dólares na próxima década. Por enquanto, tornar esse processo rentável ainda está longe de ser realidade: hoje, a carne de laboratório custa até 10 mil reais o quilo para ser produzida.

Entre as empresas que olham para esse mercado "do futuro", estão a holandesa Mosa Meat e a Eat Just, cujas vendas de carne criada em laboratório foram aprovadas em Cingapura.


Link para máteria: https://exame.com/pop/carne-feita-em-impressora-cientistas-criam-bife-de-wagyu/

13 visualizações0 comentário